quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Revolta da Chibata (comparação com a musica Mestre Sala dos Mares)

Há muito tempo nas águas da Guanabara
O dragão do mar reapareceu
Na figura de um bravo feiticeiro
A quem a história não esqueceu
Conhecido como o navegante negro
Tinha a dignidade de um mestre-sala
E ao acenar pelo mar na alegria das regatas
Foi saudado no porto pelas mocinhas francesas
Jovens polacas e por batalhões de mulatas
Rubras cascatas
Jorravam das costas dos santos entre cantos e chibatas
Inundando o coração do pessoal do porão
Que, a exemplo do feiticeiro, gritava então
Glória aos piratas
Às mulatas, às sereias
Glória à farofa
à cachaça, às baleias
Glória a todas as lutas inglórias
Que através da nossa história não esquecemos jamais
Salve o navegante negro
Que tem por monumento as pedras pisadas do cais
Mas salve
Salve o navegante negro
Que tem por monumento as pedras pisadas do cais
Mas faz muito tempo


 Comparação
Primeiramente eu gostaria de citar o verso: "rubras cascatas jorravam das costas dos santos entre cantos e chibatas”, o que isso significa?Logicamente rubras cascatas se relacionam ao sangue que jorrava dos protestantes castigados com chibatadas, que foi um fator importante, que fez até contraste com a modernização vinda dos encouraçados. Outro fator importante está nos versos "conhecido como o navegante negro, Tinha a dignidade de um mestre sala”, "negro”, "mestre sala”, duas palavras que simbolizam a pobreza, mas nesses versos elas vem acompanhadas das palavras "navegante” e “dignidade”, um negro atribuir essas duas palavras nesse período  é praticamente impossível, e mais, ter liderado uma revolta, que aumentou ainda mais a ira dos poderosos.  

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

"Velhice" da República Velha

1- Justifique a velhice da República Velha.
A República Velha teve esse nome de velha pois apesar de ter um novo nome, um novo modo de governar, com várias mudanças em toda a sociedade, com atos voltador ao público, com o direito do voto universal, com a separação de poderes (legislativo, judiciário e executivo), mesmo com todas essas mudanças de pensamento, de forma de agir, muitas coisas permaneceram nessa República Velha. Desde a colônia, como a exportação de produtos agrícolas, com a mão de obra explorada. Todas essas características começam no período colonial, passaram pelo Império e chegaram na República de uma mesma maneira, (produção em latifúndios, modelo agroexportador, mão de obra explorada). Por isso pode ser considerada velha. Na República mesmo dizendo que a mão de obra era livre, havia uma grande exploração, deixando a sociedade com mais características de velha ainda.
Postado por: Laís Vasconcelos

Constituição de 1891 para a preservação da "velhice" no Brasil

1- Faça um texto comprovando a importância da Constituição de 1891 para a preservação da "velhice" no Brasil.
Depois que o Brasil se tornou uma República, várias mudanças ocorreram com o nascimento de uma constituição. Na Constituição de 1891 foi implantada uma república federalista, e quem assumiu a presidência foram os latifundiários, pois naquela época com a produção de café eles tinham um grande poder sobre toda a sociedade. Outra "mudança" foi o federalismo, que era a autonomia sobre as províncias, essa autonomia
, mas uma vez ajudou os latifundiários que estavam no poder e agora poderiam pedir empréstimos e poderiam administrar os seus próprios bens, isso fez com que os Estados crescessem cada vez mais. A constituição também impunha o voto universal masculino, aberto e apenas para alfabetizados. Com o voto aberto, os latifundiários que queriam o poder, começaram a manipular e fraudar os votos. O número de deputados passou a ser proporcional ao número de habitantes, e mas uma vez os latifundiários foram para o poder. Outro ponto da Constituição foi o ensino laico, que só podiam alfabetizar as pessoas quem tivesse preparado e instruído para esse tipo de ensino. A conclusão sobre essa Constituição foi que ela de todas as formas deixou o latifundiário no poder.
Postado por: Lais Vasconcelos

Revolta da Chibata

1- Explique 3 aspectos da revolta da Chibata tendo como base a música "Mestre Sala dos Mares".
Um aspecto importante foi o comando de um negro sob a revolta, assim como diz na música "Conhecido como um navegante negro", e ainda um fato de ser um marinheiro que estava se opondo contra as chibatadas. Outro trecho da música diz: "Rubras cascatas, jorravam das costas dos santos...", que é importante pois mostra a realidade dos marinheiros que depois de levarem as chibatadas ficavam extremamente machucados, e de suas costas  saíam "cascatas" de sangue. Outro aspecto seria o outro trecho da música "Salve o navegante Negro, que tem por monumento, as pedras pisadas no cais", que se refere aos monumentos que hoje são presentes nas cidades, sendo que nenhum deles são de líderes de revoltas contra o governo, assim a unica marca que essas pessoas tem não em seus pés.
Postado por: Laís Vasconcelos

Constituição de 1891

Um dos fatores importantes da constituição de 1891 é que o poder muda de imperador para presidente, ou seja, na teoria deixa de ser um poder hereditário para ser um poder escolhido pelo povo, mas não é bem assim que acontece, pois os latifundiários manipulam as eleições pelo voto de cabresto, um exemplo disso é a republica do café com leite, em que São Paulo e Minas Gerais dominavam as eleições (com mais presidentes de São Paulo do que de Minas Gerais), alem disso eles ainda usavam artifícios para conseguir alianças políticas, com governadores e coronéis (a chamada política dos governadores).  

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Republica Velha

Muitos podem achar que a Republica Velha tem esse nome por que foi criada a um bom tempo atrás em relação a hoje, mas na verdade não é isso. Na verdade não é pela velhice do tempo,mas pela velhice de suas idéias que vem desde o Brasil colônia, cortam o império e estacionam na República Velha, essas são idéias agrárias voltadas para exportação.Idéias de um país que mesmo abolindo a escravidão "escravizam" o negro socialmente, são idéias de um país que mesmo sendo uma República, mesmo permitindo voto, ainda permanece controlando quem vai votar, e em quem vai votar,isso é República Velha.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Invasão do espaço público

No Brasil acontece muita invasão do espaço público, muito pela ignorância da nossa população, que acaba botando som alto na rua, fazendo pichações e o que eu particularmente acho o pior urinando, ou até defecando na rua, muitas pessoas também fazem isso porque o espaço também é delas, e por isso podem fazer o que quiserem, mas na verdade não é assim, está certo falar que o espaço TAMBÉM é delas, mas elas não são as únicas donas do espaço, o espaço é de todos, por isso é um espaço público, então nós temos que cobrar dos políticos para que as leis sejam mais rígidas quanto a essa situação, alem de cobrar, que a própria população pare de fazer essas “animalidades”.       

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Invasão do espaço público

Espaço público como o próprio nome já diz é um lugar para todos os cidadãos. Mas ultimamente os cidadãos estão confundindo espaço público com o lugar onde podem fazer o que desejarem. Um exemplo disso é colocar músicas muito altas em carros e sair pela rua com esse som nas alturas, o cidadão tem sim o direito de ouvir a música que desejar, mas colocando esse som nas alturas ele está obrigando a outra pessoa a ouvir a mesma música, que nem todo mundo é obrigado a ouvir e gostar. Outro exemplo muito comum é a pichação de espaços públicos, essas pessoas que picham não podem tomar poder de um local público para escreverem ou desenharem o que quiser, tornando uma invasão muito grave do espaço público, e desrespeitando todos os outros cidadãos que também usam daquele local. Há também aqueles que urinam no meio da rua, uma tremenda falta de respeito com quem transita por ali. Também há aqueles que ficam andando semi-nus, ou até mesmo nus no meio da rua, como se todos fossem obrigados a ver aquele cidadãos sem suas roupas. Agravando mais ainda a invasão de todo o espaço público.
Postado por: Laís Vasconcelos

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Invasão do espaço público

  Espaço público, é um espaço de todos, e as pessoas estão fazendo coisas que, na maioria das vezes, não agrada a todo mundo. Como exemplos, temos aqueles que escutam músicas no último volume, ou seja, muito altas, que incomodam muita gente, também temos aqueles que picham muros e viadutos, ou seja, estragam o espaço público, temos aqueles que fumam em lugares públicos, poluindo totalmente o ar das outras pessoas, e temos também como exemplo, aqueles que andam com roupas indecentes, às vezes até sem roupas, e isso tudo é uma falta de respeito muito grande com todos.



Texto: Laís Rocha
postado por: Laís Rocha

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Canudos e Cangaços

Canudos:

(google imagens)
A situação de miséria e descaso político fez nascer no sertão nordestino, no final do século XIX, um movimento messiânico de grande importância. Liderados pelo beato Antônio Conselheiro, o grupo de miseráveis fundou às margens do rio Vaza Barris, um arraial. Este, longe do poder dos políticos, representou uma ameaça a ordem estabelecida pela  recém inaugurada República. Logo, os canudenses foram  atacados com toda força pelas tropas do governo.As duas primeiras expedições enviadas pelo governo baiano contra o arraial entre 1896 e 1897 fracassam completamente. De março a outubro de 1897, outras duas expedições enviadas pelo governo federal e organizadas pelo Exército, a última com 6 mil homens e artilharia pesada, conseguem finalmente tomar e destruir Canudos. Junto com Conselheiro morrem milhares de combatentes e restam cerca de 400 prisioneiros, entre velhos, mulheres e crianças.


Cangaço:



(Google imagens)

O cangaço foi um fenômeno ocorrido no Nordeste brasileiro no século XIX e nas primeiras décadas do século XX, que tem suas origens em questões sociais e fundiárias da região. Caracteriza-se por ações violentas de grupos ou indivíduos isolados, que assaltavam fazendas, seqüestravam os "coronéis" (grandes fazendeiros) e saqueavam comboios e armazéns. Os "bandoleiros" não tinham moradia fixa e viviam perambulando pelo sertão, praticando os crimes, fugindo se escondendo.O Cangaço pode ser dividido em três subgrupos: os que prestavam serviços esporádicos para os latifundiários; os "políticos", expressão de poder dos grandes fazendeiros; e os cangaceiros independentes, com características de banditismo. [...]Virgulino Ferreira da Silva, o "Lampião", denominado o "Rei do Cangaço", atuou durante as décadas de 1920 e 1930 em praticamente todo Nordeste. Lampião foi morto em 28 de julho de 1938, na localidade de Angicos, em Sergipe, vítima de uma emboscada, juntamente com sua mulher, Maria Bonita.
http://wwo.uai.com.br/UAI/html/sessao_2/2009/01/30/em_noticia_interna,id_sessao=2&id_noticia=97386/em_noticia_interna.shtml

Comparação:
 A guerra de Canudos e a guerra de Cangaços aconteceu aproximadamente no final do século XIX e ínicio do XX na zona rural. Os Cangaceiros poderiam se encontrar em grupos ou indivíduos isolados, já os Canudos se encontravam apenas em "grupos". Os Cangaceiros eram violentos além de que assaltavam fazendas, seqüestravam os "coronéis" (grandes fazendeiros) e saqueavam comboios e armazéns. Já os Canudos Não eram violentos. Porém ambos eram "influenciados" por razões diferentes.

Postado por: Beatriz Gonçalves P. 

Canudos e Cangaço

Canudos


(Fonte: Google imagens)

Conflito de Canudos mobilizou aproximadamente doze mil soldados oriundos de dezessete estados brasileiros, distribuídos em quatro expedições militares. Em 1987, na quarta incursão, os militares incendiaram o arraial, e mataram grande parte da população e degolaram centenas de prisioneiros. Estima-se que morreram ao todo por volta de 25 mil pessoas culminando com a destruição total da população.



Cangaço
     
(Fonte: Google imagens)


O cangaço foi um fenômeno ocorrido no Nordeste brasileiro no século XIX e nas primeiras décadas do século XX, que tem suas origens em questões sociais e fundiárias da região. Caracteriza-se por ações violentas de grupos ou indivíduos isolados, que assaltavam fazendas, seqüestravam os "coronéis" (grandes fazendeiros) e saqueavam comboios e armazéns. 

Os "bandoleiros" não tinham moradia fixa e viviam perambulando pelo sertão, praticando os crimes, fugindo se escondendo.

O Cangaço pode ser dividido em três subgrupos: os que prestavam serviços esporádicos para os latifundiários; os "políticos", expressão de poder dos grandes fazendeiros; e os cangaceiros independentes, com características de banditismo.
 Os cangaceiros conheciam a caatinga e o território nordestino muito bem. Por isso, era difícil de serem capturados pelas autoridades. Eles conheciam as rotas de fuga em lugares de difícil acesso. Virgulino Ferreira da Silva, o "Lampião", denominado o "Rei do Cangaço", atuou durante as décadas de 1920 e 1930 em praticamente todo Nordeste. Lampião foi morto em 28 de julho de 1938, na localidade de Angicos, em Sergipe, vítima de uma emboscada, juntamente com sua mulher, Maria Bonita.

Texto Comparativo
A Guerra dos Canudos e o movimento feito pelo Cangaço foram movimentos que ocorreram na zona rural e aconteceram no início do século XX, cada um tinha o seu próprio objetivo. Os Canudenses tinham como líder Antônio Conselheiro e a outra maioria era de camponeses que vão passar a acreditar e seguir Antônio Conselheiro. Em Canudos a economia era com a agricultura, lá tinham criação de animais e o comércio de madeira, tudo isso apenas para sua própria subsistência. Tinham um ideal Salvacionista que era ligado a religião, mas acabava indo para o lado político por apoiarem a Monarquia. Assim como qualquer outro grupo os Canudenses tinham sua oposição que eram os coronéis, a igreja católica e o governo. Já o Cangaceiros tinham outros modos de viver, outros idéias diferes dos Canudos. Os Cangaceiros andavam sempre em bandos e eram nômades, um Cangaceiro que foi muito conhecido foi Lampião.
 Postado por: Laís Vasconcelos

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

CANUDOS

  A situação de miséria e descaso político fez nascer no sertão nordestino, no final do século XIX, um movimento messiânico de grande importância. Liderados pelo beato Antônio Conselheiro, o grupo de miseráveis fundou às margens do rio Vaza Barris, um arraial. Este, longe do poder dos políticos, representou uma ameaça a ordem estabelecida pela  recém inaugurada República. Logo, os canudenses foram  atacados com toda força pelas tropas do governo.As duas primeiras expedições enviadas pelo governo baiano contra o arraial entre 1896 e 1897 fracassam completamente. De Março a Outubro de 1897, outras duas expedições enviadas pelo governo federal e organizadas pelo Exército, a última com 6 mil homens e artilharia pesada, conseguem finalmente tomar e destruir Canudos. Junto com Conselheiro morrem milhares de combatentes e restam cerca de 400 prisioneiros, entre velhos, mulheres e crianças.

CANGAÇO

Cangaço  foi um fenômeno ocorrido no nordeste brasileiro de meados do século XIX ao início do século XX. O cangaço tem suas origens em questões sociais e fundiárias do Nordeste brasileiro, caracterizando-se por ações violentas de grupos ou indivíduos isolados: assaltavam fazendas, sequestravam coronéis (grandes fazendeiros) e saqueavam comboios e armazéns. Não tinham moradia fixa: viviam perambulando pelo sertão brasileiro, praticando tais crimes, fugindo e se escondendo.
O Cangaço pode ser dividido em três subgrupos: os que prestavam serviços esporádicos para os latifundiários; os "políticos", expressão de poder dos grandes fazendeiros; e os cangaceiros independentes, com características de banditismo.
Os cangaceiros conheciam bem o Cerrado, e por isso, era tão fácil fugir das autoridades. Estavam sempre preparados para enfrentar todo o tipo de situação. Conheciam as plantas medicinais, as fontes de água, locais com alimento, rotas de fuga e lugares de difícil acesso.
Wikipédia

Comparação entre Cangaço e Guerra de Canudos

A Guerra dos Canudos e o Cangaço tem muitas semelhanças e muitas diferenças.
A Guerra dos Canudos e o Cangaço ocorreram no início do século XX e as duas
estavão com grandes problemas como (miséria e seca).A economia das duas eram
baseadas em agricultura e criação de gado.Os dois eram comandados por fazendeiros
(Coronéis) uns eram violentos e outros não.
Canudos
(Fonte: Google imagens)
    A situação de miséria e descaso político fez nascer no sertão nordestino, no final do século XIX, um movimento messiânico de grande importância. Liderados pelo beato Antônio Conselheiro, o grupo de miseráveis fundou às margens do rio Vaza Barris, um arraial. Este, longe do poder dos políticos, representou uma ameaça a ordem estabelecida pela  recém inaugurada República. Logo, os canudenses foram  atacados com toda força pelas tropas do governo.As duas primeiras expedições enviadas pelo governo baiano contra o arraial entre 1896 e 1897 fracassam completamente. De Março a Outubro de 1897, outras duas expedições enviadas pelo governo federal e organizadas pelo Exército, a última com 6 mil homens e artilharia pesada, conseguem finalmente tomar e destruir Canudos. Junto com Conselheiro morrem milhares de combatentes e restam cerca de 400 prisioneiros, entre velhos, mulheres e crianças.

(Fonte: http://www.tg3.com.br/canudos/guerra_canudos.htm)



Cangaço